21/10/2015

#Refletindo: Sobre insatisfação profissional

Pensando mente ilustração Vetor grátis
Foto: Freepik
Na semana passada, conversando com minha psicologa, eu percebi que realmente estou trabalhando em um lugar da qual não encontro nenhuma satisfação. Foi demorado para mim entender isso, mas enfim compreendi. Ai ela me jogou uma pergunta: "o que você fará a respeito?". Foi então que tive que refletir muito bem sobre esse assunto. E ainda estou refletindo.

É claro que há em mim uma insatisfação profissional, às vezes é mais com a empresa do que com o cargo em si, mas no geral estou insatisfeita. E agora preciso tomar uma decisão, que na real já tomei porém, não consegui colocá-la em prática. Nos dias de hoje é muito arriscado ficar desempregada, não está fácil pra ninguém e tem muitos lugares mandando embora ao invés de contratar, então esse é um ponto que ainda me impede de por em prática minha decisão. Outra coisa é: eu realmente não tenho a mínima noção do que farei quando sair daqui, sabe aquela sensação de: não sirvo pra mais nada? Pois então, estou com ela.



Ninguém me preparou para esse lado (ou todos os lados) da vida adulta. Então só sei que: não estou feliz e isso tem afetado outras áreas da minha vida. Tenho sido uma pessoa mais chata, 90% do tempo que passo trabalhando eu estou com um bico maior que o mundo no rosto, ando bem irritada e cansada mentalmente. Minha produtividade caiu, e depois de algumas mudanças meu medo é que eu venha produzir menos ainda. Vocês devem estar se pergunta: por que diabos você está trabalhando ai ainda? E eu respondo: porque não é nada fácil tomar esse tipo de decisão, não posso ignorar as contas que tenho à pagar, não posso voltar correndo pros braços financeiros dos meus pais, estou há 3 anos trabalhando aqui então não seria legal chegar do nada e pedir a conta, e o último fator é: o que farei depois?

Agora imaginem, todos esses pensamentos juntos e misturados rolando aqui dentro da minha cabeça... pois é, não está sendo fácil, mas aos poucos eu tenho conseguido organizá-los e estabelecer o que é prioridade na minha vida. Talvez amanhã eu chegue aqui e digo que  estou desempregada, talvez será daqui um mês, talvez no início do próximo ano, mas sei que este sofrimento não se prolongará demais.

Moral da história com todo esse desabafo ai em cima: certas decisões não são fáceis, mas necessárias. Se você ai está passando por algo parecido, tente fazer como eu: vai priorizando as áreas da sua vida e veja qual a melhor decisão a se tomar. Talvez você consiga colocar em prática mais rápido do que eu ou talvez não, o importante é por em prática! ;)
E se tiver uma outra dica pra me dar, saiba desde já que ficarei muito agradecida!!

Até a próxima

Comente com o Facebook:

Design e Desenvolvimento por Bruna Leite